Estudo concluiu que papel toalha é o mais higiênico dos métodos para secagem das mãos

3 min leitura

Não é novidade falar que a lavagem das mãos é um aspecto muito importante para o controle microbiológico em qualquer segmento, e que a sua eficiência se deve a um procedimento correto. Contudo, pouco se fala sobre o papel importante que a secagem desempenha na higienização das mãos, pois existe maior probabilidade de transmissão de microrganismos a partir da pele molhada do que pela pele seca. E isto não está especificado nos manuais e avisos com o procedimento para lavagem das mãos, que terminam na aplicação de produto antisséptico.
Na legislação brasileira para empresas de alimentos, há exigências de instalações para lavagem das mãos nas áreas de produção, vestiários e banheiros, as quais esclarecem que os lavatórios devem preferencialmente usar toalhas de papel não reciclado ou outro sistema higiênico e seguro de secagem das mãos.
Mas qual outro sistema seguro para secagem das mãos seria ideal? Ressaltamos que a nossa legislação elimina a hipótese de usar toalha de pano.
De acordo com a pesquisa liderada pelo professor Mark Wilcox, da Faculdade de Medicina de Leeds, que comparou a redução microbiana ocorrida após a secagem das mãos, bem como a higiene das superfícies dos secadores, do meio ambiente e dos usuários, dos três métodos mais utilizados de secagem das mãos: jato de ar, secadores de ar quente, e toalhas de papel descartáveis, o jato de ar e os secadores de ar quente têm maior potencial de contaminação!
Os secadores de jato de ar são ótimos secadores das mãos, devido à alta velocidade de ar; infelizmente, isto significa que as gotas de água, com microrganismos, serão dispersas a distâncias mais longas e algumas permanecerão suspensas no ar por vários minutos (possivelmente horas), podendo disseminar a contaminação para o ambiente, levando em conta que isso dependerá da contaminação inicial e de como as mãos foram lavadas.
Para o estudo, as mãos, com luvas, foram revestidas com cepas de Lactobacillus, para simular a carga microbiana. As mãos foram então mal lavadas e secadas em seguida. Os pesquisadores mediram as contagens microbianas no ar em torno dos equipamentos e também nas distâncias de 1 m e 2 m. Foram também realizados testes separados, nos quais as mãos foram revestidas com tinta para visualizar a dispersão de gotículas em cada método. As contagens bacterianas no ar, perto dos secadores de jato de ar (70,7 UFC) foram 4,5 vezes maiores que em torno do secador de ar quente (15,7 UFC) e 27 vezes maiores quando comparadas ao uso de toalhas de papel (2,6 UFC). A figura abaixo ilustra esta situação.

pesquisa_secador_de_maos

E o teste visual das manchas com tintas demonstrou que o secador de jato de ar causou maior dispersão de gotas de tinta. Verificou-se também que, para o secador a ar, as bactérias permaneceram além do tempo de secagem de 15 segundos, 26% a mais que os demais métodos.
Descobriu-se que secar as mãos com papel toalha reduz, por fricção, o número médio de bactérias nos dedos em até 76% e nas palmas em até 77%. Em contrapartida, com o uso dos secadores elétricos, a contagem das bactérias aumentou, em alguns casos, em até 254%.
Diante destes resultados, o estudo conclui que a toalha de papel é a melhor solução, porém isso não elimina a necessidade de boas práticas, como gestão do lixo com o papel e uma boa eficiência na limpeza do dispenser, paredes e até mesmo a escolha do melhor dispenser. 

E para quem tem dúvida do que é mais sustentável, uma outra pesquisa dá equivalência aos dois métodos quando usadas duas toalhas de papel.

Referências:
E.L. Best a, P. Parnell a, M.H. Wilcox- Microbiological comparison of hand-drying methods: the potential for contamination of the environment, user, and bystander. Journal of Hospital Infection 88 , 2014.

ttp://www.greenlifestylemag.com.au/features/1088/paper-towels-vs-electric-hand-dryers

7 thoughts on

Estudo concluiu que papel toalha é o mais higiênico dos métodos para secagem das mãos

  • Michele

    Parabéns pelo post, achei muito interessante, uma dúvida que tinha em relação ao tema abordado.
    At,

    Michele

    0
  • Marcelo

    Parabéns pelo artigo, Juliana. Sempre desconfiei que esse lance de secar as mãos com ar (quente ou frio) espalhava microrganismos, mas não tinha certeza. Você me deu subsídios para argumentar contra esse pessoal que prega somente o benefício ao meio ambiente. Ainda existe o fator gasto de energia elétrica, que nos dias atuais, acredito ser mais sério que o uso de celulose. Aliás, o Brasil é auto-suficiente na produção de celulose.

    0
    • MArcos Cesar

      E ainda, emissão de CO2 no meio ambiente!!!

      Parabéns pelo artigo!!

      0
  • Emilson Ismael Netto

    Olá Juliana, muito boa publicação, parabéns. Procurei porém não encontrei norma / legislação sobre qualidade do papel toalha e sabonetes que deverão ser indicados para uso dos funcionários em industria alimentícia. Você tem esta informação? Aguardo retorno. Att. Emilson (Gestor de Qualidade)

    0
  • Helena

    A maioria dos textos define papel toalha usado como não reciclável. Seu post mostra que o nº de microorganismos é muito baixo e portanto sem risco sanitário. Na minha opinião, se o papel toalha foi usado exclusivamente para secar as mãos ( não assoar nariz, não cuspir, e outros usos) não haveria problema em encaminhar para a reciclagem. Num banheiro de uso exclusivo por funcionários, que sejam conscientizados e treinados, isto poderia ser feita.

    0
  • Fabio

    Muito bom seu post. Porem tenho duas duvidas. A legislação fala sobre o uso individual de toalha de pano ? e com relação a toalha de pano retratil ?

    0
  • Antônio Carlos

    Amei o Artigo foi grande meu aprendizado científico e técnico e parabéns pelo artigo sucesso.

    0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Todos os textos são assinados e refletem a opinião de seus autores.

lorem

Food Safety Brazil Org

CNPJ: 22.335.091.0001-59

organização sem fins lucrativos

Produzido por AG74
© 2020, Themosaurus Theme
Compartilhar