Pandemia e o uso de máscaras em serviços de alimentação e indústrias de alimentos

3 min leitura

Edição atualizada em 06/05/2020

Estamos enfrentando uma pandemia global relacionada a um vírus mortal, o novo coronavírus, causador da Covid-19. Muitos países já classificaram esse momento como “uma guerra contra o inimigo invisível”. Para enfrentar esse mal e assim evitar maiores problemas como um colapso no sistema de saúde pública, pois a doença pode ser fatal para idosos e pessoas com doenças pré-existentes ou baixa imunidade, muitas prevenções vêm sendo tomadas e são indicadas por especialistas.

Devido a esse cenário catastrófico, vemos pessoas fazendo o uso indiscriminado de itens para a preservação da sua saúde como o álcool gel 70°.   Como já publicado no blog, há comprovação da sua eficácia na eliminação de microrganismos das mãos dos manipuladores de alimentos. Outro hábito é a utilização de máscaras de todos os tipos possíveis para evitar a contaminação viral através de vias respiratórias.

Mas quem realmente deve utilizar máscaras nos serviços de alimentação e nas indústrias de alimentos para assim não contaminar os alimentos? Os alimentos são veículos de contaminação do novo vírus devendo os manipuladores utilizarem métodos para prevenção dessa contaminação? Será que qualquer tipo de material utilizado para confecção das máscaras é realmente eficaz?

A nota técnica n°04/2020 GVIMS/GGTES/ANVISA, publicada em 30 de janeiro de 2020 e atualizada em 21 de março de 2020, traz orientações especificamente para serviços de saúde sobre o uso de máscaras em casos suspeitos ou confirmados de contaminação pelo novo coronavírus. Segundo esta nota, em casos suspeitos de doença as pessoas devem utilizar máscaras cirúrgicas, bem como deve ser feito o uso por profissionais da saúde e de apoio que participam da assistência a esse paciente. Porém, segue um destaque nessa nota técnica: “usar máscara cirúrgica é uma das medidas de prevenção para limitar a propagação de doenças respiratórias, incluindo o novo coronavírus (COVID-19). No entanto, apenas o uso de máscara cirúrgica é insuficiente para fornecer o nível seguro de proteção e outras medidas igualmente relevantes devem ser adotadas, como a higiene das mãos com água e sabonete líquido ou preparação alcoólica antes e após a utilização das máscaras”. O documento ainda deixa claro que o uso de máscara de forma desnecessária pode gerar custos e uma falsa sensação de segurança, além de se negligenciar o ato de higienizar as mãos.

Mas e para os serviços de alimentação e indústria de alimentos, devemos fazer o uso de máscaras para prevenção da contaminação dos alimentos? A Nota Técnica n°18/2020/SEI/GIALI/GGFIS/DIRE4/ANVISA que traz orientações específicas para Covid-19 e as Boas Práticas de Fabricação e Manipulação de Alimentos determina cuidados específicos para prevenção dos casos de contaminação entre manipuladores de alimentos. Em relação às máscaras, determina que “o uso de máscara facial é um instrumento que pode auxiliar na diminuição da transmissão do novo coronavírus entre as pessoas. Não há, ainda, a recomendação geral para implementação do uso de máscaras em ambientes de produção e manipulação de alimentos com essa finalidade. Caso esses equipamentos sejam utilizados, recomenda-se a sua troca frequente ou higienização (conforme o material adotado), cuidados para evitar tocá-las e, sempre quando isso ocorrer, realização da lavagem correta das mãos.”

Em relação aos alimentos serem possíveis fontes de contaminação do novo coronavírus, segundo o post da nossa colunista Juliana Barbosa, “a transmissão através de alimentos é improvável e não há evidências de que isso ocorra com o novo coronavírus até o momento. No entanto, investigações para identificar a fonte do surto, a extensão da disseminação da infecção e o(s) modo (s) de transmissão continuam” (leia na íntegra o post “Novo coronavírus e a segurança dos alimentos”). Isso significa que manteremos os procedimentos relacionados ao asseio pessoal, lavagem de mãos, controle de saúde dos colaboradores, análise de fornecedores, monitoramento do tempo e temperatura dos alimentos, entre outros.Também a Nota Técnica n°18/2020/SEI/GIALI/GGFIS/DIRE4/ANVISA deixa claro que autoridades em controle sanitário de alimentos, a ANVISA e a OMS (Organização Mundial da Saúde) não relacionam a contaminação do novo coronavírus por alimentos.  

E será que qualquer material pode ser utilizado para confecção de máscaras para prevenir a contaminação pelo novo coronavírus? A princípio a recomendação geral era do uso de máscara constituída por material cirúrgico, porém em 08/04/2020 o Ministério da Saúde publicou em sua página oficial e divulgou nos meios de comunicação que as máscaras caseiras, de pano e produzidas de forma simples podem auxiliar na prevenção do coronavírus. Foi determinado ainda que para confecção dessas máscaras, se tenha no mínimo duas camadas de pano, com tecidos como tricoline, TNT, ou outros tecidos.

As indústrias e serviços de alimentação que disponibilizarem para seus colaboradores EPI como máscaras, devem obedecer a critérios rigorosos para o uso e substituição desse item, bem como não se esquecer da lavagem das mãos e demais recomendações necessárias.

Fiquem atentos às mudanças constantes que estão ocorrendo em relação ao tema do novo coronavírus, não apenas ao uso de máscaras, mas também aos demais itens e critérios de higiene pessoal.

10 thoughts on

Pandemia e o uso de máscaras em serviços de alimentação e indústrias de alimentos

  • Flávia

    Bom dia. Dia 27 de março foi publicado um ofício circular SEI nº 1088/2020/ME, pelo Ministério da Economia. Neste ofício relata-se: “17. Os trabalhadores que preparam e servem as refeições devem utilizar máscara cirúrgica e luvas, com rigorosa higiene das mãos;”

    0
    • Maria Juliana Franceschini

      Boa tarde!
      Oi Flávia, como vai?

      Agradeço pelos seus comentários.
      Atualizamos o nosso post incluindo suas colocações.

      Atenciosamente,
      Maria Juliana

      0
  • Cris

    Existe algum tempo estipulado para realizar a troca das máscaras? 30 min, 2h ou quando estiver umida? Ou pode criar um critério interno de uso??

    0
    • Maria Juliana Franceschini

      Boa tarde!
      Prezada Cris, como vai?

      Agradeço primeiramente pelos seus comentários.
      Em relação ao tempo de troca ao se utilizar máscaras, como uma medida de de proteção contra o novo coronavírus nas indústrias de alimentos e serviços de alimentação, não existe, até o momento, nenhuma legislação ou nota técnica determinando esse período, ficando assim a critério de cada empresa realizar sua determinação interna.

      Atenciosamente,
      Maria Juliana

      0
  • Adriana

    Agora, há quase 2 meses dos primeiros casos de COVID no Brasil encontrar máscaras cirúrgicas está sendo uma luta. Se é difícil no meio hospitalar, imagina para a indústria de alimentos, que também não para durante a pandemia. À população geral, recomenda-se a máscara de tecido, até para poupar para os hospitais, asilos, etc.
    Mas e para nós, que produzimos alimentos? Como fazemos mediante o desaparecimento das máscaras nos nossos fornecedores?

    0
    • Maria Juliana Franceschini

      Boa tarde!
      Prezada Adriana, como vai?

      Agradeço pelos seus comentários.
      A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) através da Nota Técnica 23/2020, que traz diretrizes sobre o uso de máscaras em indústrias de alimentos e serviços de alimentação em relação ao COVID-19, determina que não há necessidade no uso desse EPI, mas caso a empresa decida por ele, pode ser utilizada máscaras de tecido, conforme determina a Nota Informativa nº3/2020, do Ministério da Saúde, devendo ser observados alguns critérios como troca, individualidade e exclusividade do uso e lavagem correta dessas máscaras.

      Atenciosamente,
      Maria Juliana

      0
  • Letícia Ferreira

    Bom dia!! A contaminação por alimentos pelo covide 19 é praticamente descartada na literatura. Mas os alimentos prontos pro consumo, se o manipulador estiver infectado, assintomático e não tiver os cuidados necessários de manipulação, há risco de contaminação pelo Covide19?? Penso que o alerta a população sobre o risco de contrair a doença através dos alimentos está negligenciada, visto que as pessoas não tem treinamento suficiente no correto uso de máscaras.

    0
    • Maria Juliana Franceschini

      Boa tarde!
      Olá Letícia, como vai?

      Obrigada pelo envio dos seus comentários.
      Até o momento não se tem comprovações da contaminação dos alimentos por coronavírus, mesmo que o mesmo estiver manipulado.
      Em relação ao treinamento dos manipuladores de alimentos concordo plenamente que o mesmo deve ser frequente, inclusive sob o uso de máscaras.

      Atenciosamente,
      Maria Juliana

      0
  • Daniele Cristina Pereira dos Santos

    Olá boa noite !
    A equipe da cozinha que manipula alimentos será obrigatório o uso do face shield?
    A

    0
    • Maria Juliana Franceschini

      Boa tarde!
      Olá Daniele, como vai?

      Obrigada pela sua pergunta e participação.
      Até o momento não temos a obrigatoriedade do uso de face shield em serviços de alimentos pela ANVISA.
      É importante que você avaliei a legislação do seu município em relação a pandemia e a necessidade desse EPI para processadores de alimentos.

      Atenciosamente,
      Maria Juliana

      0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Todos os textos são assinados e refletem a opinião de seus autores.

lorem

Food Safety Brazil Org

CNPJ: 22.335.091.0001-59

organização sem fins lucrativos

Produzido por AG74
© 2020, Themosaurus Theme
Compartilhar