Controle de pragas: o que é atomização e para que serve

ATOMIZAÇÃO CONTROLE DE PRAGAS FOOD SAFETY
< 1 min leitura

Quando o assunto é controle de pragas, em algum momento você já deve ter ouvido a palavra atomização, mas o que é e para que serve?

Significado de atomização: fragmentação de um corpo em unidades diminutas.

A atomização é a aplicação de um produto químico para controle de insetos em geral, rasteiros ou voadores através da transformação de uma calda inseticida em micro-partículas, ou seja, microscópicas gotas.

O processo de atomização ocorre através de um equipamento que produz uma corrente de ar de alta velocidade. O inseticida é introduzido dentro do recipiente, a pressão negativa formada por essa alta corrente de ar arrasta a calda inseticida para um bico de cisalhamento responsável por formar gotas de aproximadamente 50 a 100 µm. Essas gotas são disparadas no ar em forma de uma névoa fina. Sua ação é instantânea, pois as partículas se agregam nas superfícies de forma homogênea atingindo todo o ambiente alvo.

O grande diferencial é que os atomizadores possuem um longo alcance chegando até a 12 metros de distância. São amplamente utilizados na agricultura e podem ser utilizados internamente e externamente na empresa. A atomização é recomendada para áreas com grandes alturas, como prédios, depósitos, galpões, pois  é uma técnica similar à pulverização líquida, mas com um grande poder de alcance por meio de um “jato líquido”.

Qualquer inseto que tenha contato com a área após aplicação passará a sofrer o efeito do inseticida e será eliminado.

Existem diversos tipo de atomizadores (mecânicos, hidráulicos) e o objetivo é o mesmo: fracionar a calda inseticida em gotas que ficarão suspensas no ambiente.

Não se esqueça de que a escolha do inseticida também é fundamental para a erradicação da praga alvo.

7 thoughts on

Controle de pragas: o que é atomização e para que serve

  • Luciana

    Olá, bom dia. A atomização tem validade? Por exemplo, pode-se fazer uma atomização com o inseticida com duração de 6 meses? Ou ela é somente instantânea?

    0
    • André Pontes

      Olá Luciana! O Tempo depende muito de sua realidade/necessidade, Por exemplo se você estiver realizando apenas controles: você junto a empresa de controle de pragas encontrarão um intervalo adequado e regular de aplicação que atenda as necessidade do seu tipo de alimento e praga de maior preocupação, já em uma infestação por exemplo seu intervalo entre aplicações, precisa ser muito curto para impedir os ciclos de reprodução do inseto alvo, Ou seja, O que para uma categoria 06 mês é pouco tempo, para outra, é muito.

      0
  • Waldemir Valerio

    Acredito que esta materia tem um equivoco pois realizar atomização em áreas alimenticias pode ocorrer contaminação do produto se o mesmo estiver exposto ou em embalagem primaria. Pois é muito dificil controlar as particulas que se espalham pelo ar. Assim recomendo aplicações focais. (Spot) onde não haverá risco.

    0
    • André Pontes

      Olá, muito bem colocado Waldemir, na verdade não há equívocos, pois você está certo! Não é recomendado o contato direto com materiais expostos, as áreas devem ser certamente isoladas e os materiais retirados do ambiente. É claro que é preciso avaliar cada realidade, haverão casos em que não é possível remanejar os materiais e certamente aplicações focais serão a melhor opção!

      0
  • Everton Santos

    Ótimo texto André! Em relação a ação prolongada do resíduo do produto, creio que seja até a primeira lavagem do setor. No teto e em outras superfícies em que a frequência de limpeza seja menor a ação deve durar mais.

    0
  • Mário Filipi

    As aplicações de inseticidas nesse caso com já foi corretamente comentado devem ser precedidas do preparo do ambiente com a remoção de produtos, etc. E sim, a tendência de uma aplicação na área de produção é durar pouco em função das lavagens e nas áreas não lavadas, a tendencia é durar mais. Estudos em laboratório mostraram que os inseticidas ( à excessão do DDVP) se mostraram ativos após 3 meses da aplicação sobre a superfície mas isso em condições controladas de laboratório no qual as peças aplicadas eram guardadas em local fechado. na vida real isso dificilmente irá se repetir pois há diversos fatores que degradam o inseticida, tais como luz, umidade, oxidação, etc. Esqueça esse conceito de aplicação de 6 em 6 meses se seu ramo é manipulação ou industria de alimentos. Implemente um programa efetivo de controle integrado de pragas em sua empresa.

    0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Todos os textos são assinados e refletem a opinião de seus autores.

lorem

Food Safety Brazil Org

CNPJ: 22.335.091.0001-59

organização sem fins lucrativos

Produzido por AG74
© 2020, Themosaurus Theme
Compartilhar